QUEM ACORDA àS 5H TEM UMA ROTINA MAIS SAUDáVEL, COMO PREGAM NO TIKTOK?

Acordar quase de madrugada, entre 4h e 6h da manhã, tomar um café, ir para a academia até as 7h e depois começar a trabalhar. Há também algumas pessoas que acordam neste mesmo horário para iniciar os estudos cedinho, com o sol nascendo. É bem possível que essas rotinas sejam conhecidas por você, até porque elas dominam as trends de rotina saudável nas redes sociais

São diversos os vlogs apresentando esse hábito, quase como se fosse uma solução mágica e perfeita para você ter um dia a dia produtivo e cheio de saúde. É exatamente este ponto que nos faz questionar: para ter uma rotina saudável, é preciso acordar tão cedo?

Na verdade, não. Karina Valentim, nutricionista esportiva funcional, explica, em entrevista à CAPRICHO, que “acordar entre 4h e 6h da manhã não é necessariamente mais saudável porque cada pessoa é única e tem seu próprio relógio biológico”. Por isso, quando vemos algum usuário das redes compartilhando sua rotina própria como se fosse uma solução secreta, precisamos pensar em como nosso corpo e, principalmente, nosso relógio biológico funciona.

O relógio biológico, também conhecido como ciclo circadiano pelos especialistas, é o que regula nossa produção hormonal a cada hora do dia, como a de cortisol ao amanhecer, para nos fazer despertar, e a de melatonina à noite, que nos faz dormir. Em cada indivíduo, essa produção pode ter horários diferentes, que vão depender dos hábitos e costumes de cada um – ou seja, aquela história de que algumas pessoas funcionam melhor de manhã e outras à noite é verdade!

Diferentes organismos, diferentes rotinas

O nome científico para essa divisão é cronotipo, e ele nos divide em três categorias: matutino, vespertino e cronotipo intermediário. Isso significa que a produção dos hormônios de cada um desses tipos de pessoas vai ser em horários diferentes.

Enquanto o matutino tende a produzir melatonina (o hormônio do sono) mais cedo e dificilmente consegue dormir mais tarde, o do vespertino vai ser produzido muito mais tarde, quase no amanhecer – são aquelas pessoas que têm mais facilidade para virar a noite acordados, sabe?

Todas essas informações são importantes de entender para conseguirmos analisar de forma fidedigna nosso funcionamento corporal e respeitar os limites dos hábitos que estamos acostumados. Mas, isso quer dizer que uma vez que você é uma pessoa matutina, será para sempre assim? Também não. 

A especialista explica que, por trabalho, estudo ou algum outro compromisso, uma pessoa precisa acordar mais cedo do que ela está acostumada, ela vai conseguir adaptar o corpo a essa nova realidade.

“É possível ir adaptando devagar a rotina, mas isso não significa que ela vai estar sendo mais saudável por acordar em algum horário específico, e sim se houver uma mudança de toda uma rotina”, pontua.

Até porque, “rotina saudável é uma rotina onde a gente consegue realizar as nossas atividades do dia a dia com bastante energia e disposição”, afirma Karina. Para cumprir essa meta, a nutricionista esportiva nos explica que é preciso três pilares básicos para se atingir uma rotina plenamente saudável:

  • Uma boa noite de sono, indo deitar entre as 22h e 00h ou o mais cedo que conseguir, conseguindo entre 6h a 8h de sono durante a noite e evitando ao máximo luz azul antes de deitar;
  • Uma alimentação balanceada e equilibrada de nutrientes, minerais, fibras e vitaminas, para nos suprir de energia o dia todo;
  • A prática de atividades físicas regularmente, que vão atuar na parte neuromuscular do nosso corpo, ou seja, tanto na produção hormonal, quanto no desenvolvimento muscular.

Não importa, então, a hora que vou acordar?

Não necessariamente! É impossível determinar um horário exato e o melhor para qualquer um acordar – até porque varia muito de pessoa para pessoa, seus hábitos, rotinas e gostos. Mas, Karina afirma que, para melhor funcionamento do organismo, “acordar cedo faz parte sim de uma rotina saudável. Mas lembrando: o horário do ‘cedo’ é muito relativo, porque o importante mesmo é que a pessoa se sinta bem, disposta e com a energia revigorada ao acordar”.

Acordar entre 9h ou 10h, por exemplo, não é necessariamente ruim, como aponta a especialista. Contudo, o pico de cortisol no organismo já vai estar bem menor – ele tende a começar a ser produzido ao amanhecer! – e, por isso, algumas pessoas podem acordar se sentindo mais sonolentas. Quem nunca nas férias ou no fim de semana dormiu por quase 10h direto e acordou mais cansado do que bem? É por conta desse fator!

O foco precisa ser o sono

Estabelecer uma regra que funcione para todos os organismos é uma missão quase impossível, mas que Karina cumpre. Segundo ela, a prioridade de todos (todos mesmo!), precisa ser o sono. "Não adianta acordar de madrugada ou cedo, o segredo é ter uma noite de sono reparadora e com as horas de sono adequadas para regulação hormonal", explica.

Muitas vezes esquecido entre as preocupações na hora de cultivar uma rotina saudável, o sono é reparador, e precisa ser a primeira tarefa a ser cumprida.

Mesmo neste tópico onde o sono é uma regra, a quantidade de horas também varia – cada organismo é um! O ideal, como explica a nutricionista, é dormir entre 6h e 8h por noite, mas, para algumas pessoas, 4h a 5h pode ser o suficiente para acordar com disposição e energia, mesmo se só para uma parcela bem pequena da população.

Estabelecer um horário mágico para acordar e para ter uma rotina ainda mais saudável não só é impossível como irreal. Cada organismo funciona de uma forma e é preciso respeitar os limites individuais. Por isso, "o acordar cedo é muito relativo. Ele vai variar de pessoa para pessoa, do que a pessoa considera importante e do quanto precisa para ficar bem", nota Karina.

E aí, qual é a rotina perfeita para você?

2024-01-12T19:57:49Z dg43tfdfdgfd